O que você procura?

1 2 3 4 5 6 7 8

Fundação Cultural faz inventário de fazendas, capelas e Companhias de Reis de Varginha : 20/11/2019 19:31

Com o objetivo de preservar e valorizar os bens de natureza imaterial e material, o Setor de Patrimônio Histórico da Fundação Cultural fez o inventário de 12 novos bens culturais de Varginha em 2019, chegando a um total de 234 itens. Foram inventariados quatro exemplares que integram a arquitetura rural do município, sendo três do Século XIX e um do Século XX, bem como quatro bens móveis, pertencentes aos bens imóveis estudados. Foram inventariadas ainda duas Companhias de Santos Reis, bem como os estandartes delas.

Passam a compor o patrimônio inventariado pelo município, como bens imóveis, a Fazenda Mascatinho, a Capela Santo Antônio da Fazenda Mascatinho, a Fazenda Pouso Alegre e a Fazenda Pedra Negra. Como bens móveis e bens integrados, o Retábulo da Capela da Fazenda Mascatinho, o Retábulo da Capela da Fazenda Pouso Alegre, o Retábulo da Capela da Fazenda Pedra Negra, a Motoniveladora da Fazenda Mascatinho, o Estandarte da Companhia de Reis “Irmãos da Fé” e o Estandarte da Companhia de Reis “Reis do Oriente”. Já como bem imateriais foram inventariados a Companhia de Reis “Irmãos da Fé” e a Companhia de Reis “Reis do Oriente”

.De acordo com a responsável pelo Setor de Patrimônio Histórico, arquiteta Danielle de Souza Guimarães, por meio do inventário é possível identificar as referências culturais e, consequentemente, documentá-las. “A importância da documentação das referências culturais pode ser verificada de diversas maneiras: enquanto preservação da memória de determinadas práticas culturais; como forma de reconhecer as mudanças ocorridas ao longo do tempo; como produção de conhecimento para as futuras gerações; divulgação da diversidade cultural; e, inclusive para a proposição de políticas públicas”, destaca Danielle Guimarães.

Para o diretor-superintendente da Fundação Cultural, Lindon Lopes, o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo setor é de extrema importância no resgate e salvaguarda dos bens culturais de Varginha. “Além de mapear os bens de relevância cultural para o município, a equipe realiza um trabalho de caráter permanente, que mantém atualizado o conhecimento sobre os espaços, manifestações culturais e edificações com interesse para preservação, bem como o perfil arquitetônico e urbanístico de cada bairro da cidade. Executa ainda vários projetos de educação patrimonial com estudantes de escolas públicas”, lembra Lindon Lopes.

Os resultados desses trabalhos de investigação são cadastrados em fichas onde há a descrição sucinta do bem inventariado, constando informações básicas quanto à importância histórica, características gerais e estados de conservação e preservação, que são acompanhadas por fotografias, mapas e vídeos. Todos os bens culturais inventariados pelo Patrimônio Cultural de Varginha podem ser acessados em https://fundacaoculturaldevarginha.com.br/patrimoniocultural/ . Mais informações podem ser obtidas pelo (35) 3690-2718.

Fonte e foto: Fundação Cultural de Varginha

Compartilhar no Facebook

Maçonaria sugere Projeto de Lei para reflorestamento e proteção de nascentes : 19/11/2019 19:30

Na noite desta segunda-feira (18), a Tribuna Livre da Câmara Municipal de Varginha recebeu Projeto de Lei de Iniciativa Popular para Reflorestamento e Proteção de Nascentes em Varginha.

Objetivo é de suma importância para o futuro da cidade, pois visa a recuperação, reflorestamento e proteção dos ribeirões São José e Santana e seus afluentes, bem como das Áreas de Preservação Permanente em várias regiões do município, onde foi constatado o elevado grau de degradação em que elas se encontram.

Projeto foi idealizado por Moacyr Vallim Filho, apoiado pela Loja Maçônica Vinte de Agosto nº 185, que conseguiu as assinaturas necessárias para apresentação na Câmara Municipal.

A Loja Maçônica, através de seus 46 membros, esteve presente na Câmara, para demonstrar apoio ao Projeto de Iniciativa Popular e ao Moacyr Vallim.

A idéia é criar um fundo municipal para recuperação e preservação dos recursos hídricos, manutenção do Parque Florestal São Francisco e implantação de um viveiro de mudas para fornecer árvores para ruas e praças de Varginha.

Os vereadores se comprometeram a analisar e colocar o projeto em votação.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook

Crea-MG inaugura sede própria em Varginha : 07/11/2019 20:52

O presidente do Conselho de Engenharia, engenheiro civil Lucio Borges, fará a inauguração do espaço na próxima terça-feira (12/11).

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) inaugura a sede própria da sua inspetoria em Varginha, na próxima terça-feira, 12 de novembro de 2019, às 10h. O novo espaço, que está localizado na rua José Justiniano Paiva, 03, Vila Bueno, vai abrigar ainda a Associação Varginhense de Engenheiros e Arquitetos (Avea).

A solenidade de inauguração contará com a presença do presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, dos inspetores do Conselho em Varginha, engenheiro civil Adimar Rezende Lages, engenheiro mecânico/civil Claudionor Alves da Silva e engenheiro agrônomo Rodrigo Garcia Rezende de Souza, além do conselheiro do Crea-MG, engenheiro mecânico Donizeti Leão de Miranda, de representantes das entidades profissionais, do poder público e da sociedade.

A unidade de Varginha é responsável pelo atendimento de mais de mil profissionais de 14 cidades da região. Em 2018, foram realizados cerca de 4 mil atendimentos, tanto aos registrados no Conselho quanto à população. “A ampliação do local era uma necessidade e uma reivindicação antiga dos profissionais, que serão atendidos agora em um espaço moderno com praticidade e conforto. Isso é um ganho para eles, que serão valorizados, e também para a sociedade, que se beneficiará com a prestação de serviço de qualidade”, afirma o inspetor-chefe e presidente da Avea Adimar Rezende Lages. Segundo ele, a inauguração representa um marco para a engenharia em Varginha. “A construção de uma sede própria mostra a força das nossas profissões na região”, ressalta.

Para o presidente Lucio Borges, além de valorizar o patrimônio, a nova inspetoria vai aproximar ainda mais os profissionais do Conselho. “Queremos fazer da inspetoria a referência para o profissional, abrindo as portas para a agenda de palestras, treinamentos e capacitação. O nosso compromisso é de estar presente onde há atuação dos profissionais da engenharia, da agronomia e das geociências”, afirma Lucio Borges.

Construída de acordo com as normas de acessibilidade, a nova inspetoria conta com uma área de aproximadamente 560 metros quadrados, com três pavimentos, estacionamento e auditório com 80 lugares. O espaço vai oferecer, entre outros serviços, o registro de profissionais e empresas, emissões de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), certidões, taxas e formulários, esclarecer dúvidas e procedimentos, além de fiscalizar o exercício das profissões de engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia.

Compartilhar no Facebook

Conheça os benefícios dos brinquedos pedagógicos em relação aos eletrônicos. : 06/11/2019 19:05

Conheça os benefícios dos brinquedos pedagógicos em relação aos eletrônicos.
TV Princesa Varginha-MG
6 de nov. de 2019
https://www.youtube.com/watch?v=BB1lEydDtWg

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook

Sul de MG pode perder 23 municípios : 06/11/2019 18:46

O Sul de Minas poderá perder pelo menos 23 municípios caso a proposta do governo federal de mudanças no pacto federativo seja aprovada. Uma das PECs enviada nesta terça-feira (5) ao Congresso prevê a incorporação a municípios vizinhos das cidades com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total.

Hoje, conforme levantamento feito G1, das 39 cidades com menos de 5 mil habitantes no Sul de Minas, 23 delas se encaixam nos critérios estabelecidos no projeto. Outras 11 têm receita própria superior a 10% e outras cinco não tiveram os dados computados pelo portal IBGE Cidades.

Somadas, as populações dessas 23 cidades que poderiam ser anexadas por municípios vizinhos representam uma população de 80.721 habitantes. Para efeito de comparação, esse número fica próximo da população do município de Alfenas, o 7º maior do Sul de MG, que tem pouco mais de 79 mil habitantes.

https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2019/11/06/sul-de-mg-pode-perder-23-municipios-caso-pec-do-governo-seja-aprovada.ghtml

Compartilhar no Facebook
1 2 3 4 5 6 7 8